Rotura na rua de Olivença

Ocorreu durante esta madrugada uma rotura na conduta de distribuição de água na R. de Olivença, em Almada. Os operacionais dos SMAS de Almada chegaram prontamente ao local e encontram-se, neste momento, a executar os trabalhos de reparação no sentido de repor o abastecimento o mais rapidamente possível. A previsão de normalização é ao final do dia. Pedimos desculpa por todos os incómodos causados.


LINHAS DIRETAS

Apoio ao Cliente
212 726 001
Dias Úteis (9H00-16H30)
 
Comunicação de Leituras
212 726 101
24 Horas
Roturas na Via Pública
800 205 712
24 Horas
Piquete
212 726 161
24 Horas

ETAR da Quinta da Bomba

A ETAR da Quinta da Bomba, em funcionamento desde 1994 é uma estação intermunicipal, que resulta de um projeto integrado de drenagem e tratamento de águas residuais urbanas dos municípios de Almada e do Seixal, concebida para tratar as águas residuais equivalentes a 198.290 hab-eq, no seu horizonte de projeto (2030).

Ao longo do seu período de vida, a ETAR da Quinta da Bomba tem sido objeto de obras de otimização e grande beneficiação de equipamentos.

No ano 2007 foi concluída a "Empreitada de Conceção-Construção para a Desodorização da Decantação Primária", passando a dispor de gradagem de malha fina (3 mm) e de cobertura dos decantadores primários, com extração e desodorização do ar viciado por lavagem química.

No ano 2018 foi concluída a "Empreitada de Ampliação e Beneficiação da ETAR da Quinta da Bomba", para reforço da eficiência e capacidade de resposta do tratamento primário, beneficiação do tratamento biológico com introdução de meio plástico, instalação de tratamento terciário de afinação, digestão de lamas e aproveitamento energético do biogás.

O processo de tratamento consiste nas seguintes operações e processos unitários:

fase líquida: elevação de caudal a 10 mca; gradagem de 3 mm; remoção de areias, óleos e gorduras em desarenador/desengordurador; digestor de gorduras; tratamento físico-químico e decantação primária convencional; tratamento biológico por biomassa fixa em leitos percoladores de alta-carga; decantação secundária convencional; filtração em filtros de areia; desinfeção final com ultra-violetas; reserva de efluente tratado para usos compatíveis; descarga final no Esteiro de Corroios.

fase sólida: espessamento mecânico das lamas mistas; digestão anaeróbia com cogeração de energia; desidratação em centrífugas.

fase gasosa: tratamento de odores das zonas de gradagem, tratamento primário, espessamento e desidratação de lamas, por lavagem química em dois estágios em série.

Visualizar o Diagrama de Processo

Indicadores de Exploração