Qualidade das Águas Residuais

hidden

hidden

hidden

Breadcrumb

hidden

hidden

hidden

qualidade-da-agua-residual

​Ao longo dos seus anos de funcionamento, os resultados de eficiência da ETAR da Quinta da Bomba, obtidos a partir do controlo analítico do processo foram complementados pelos sinais evidentes de melhoria da qualidade das águas e do ar na zona de Miratejo. Os odores anteriormente associados à maré-baixa deixaram de se sentir; a exploração dos viveiros ali instalados passou a detetar maiores concentrações de oxigénio dissolvido na água do esteiro, permitindo reduzir o tempo de funcionamento dos arejadores dos seus tanques e, assim, o consumo energético; nas praias fluviais ocorre gradualmente o branqueamento da areia, onde anteriormente havia lodo; tem-se verificado um aumento do número de espécies piscícolas, segundo o relato dos pescadores da zona; são hoje vulgarmente observadas espécies de avifauna, como por exemplo o pato real e o flamingo, que anteriormente não se aproximavam das margens do esteiro de Corroios.

Com o propósito de avaliar o efeito da entrada em funcionamento das ETAR da Mutela e do Portinho da Costa no meio recetor estuarino, em outubro de 2001 foi iniciada a caraterização e monitorização das comunidades biológicas da frente ribeirinha do Concelho de Almada. Este trabalho realizado no âmbito dos estudos de avaliação do património natural desenvolvidos pelo Departamento de Estratégia e Gestão Ambiental Sustentável da Câmara Municipal de Almada (CMA), resultou de uma parceria entre a CMA, os SMAS de Almada e o Instituto de Oceanografia da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.

Devido à sua íntima associação com o substrato, ao razoável sedentarismo que exibem e ao fato de apresentarem genericamente ciclos de vida relativamente curtos, as espécies que constituem as comunidades bentónicas, e os macroinvertebrados em particular, respondem de forma direta e bastante rápida mesmo a pequenas alterações no meio aquático. Além disso, por englobarem maioritariamente organismos que se encontram nos níveis inferiores das cadeias alimentares, as modificações que experimentam acabam por ter claras repercussões nos estados tróficos superiores, nomeadamente na generalidade dos cefalópodes, crustáceos decápodes e peixes.

Os dados finais do estudo resultantes da primeira fase (período de monitorização pré-operacional) representam de forma fidedigna o estado de conservação das comunidades biológicas presentes nas zonas da Mutela, Porto do Buxo e Portinho da Costa, constituindo assim uma caraterização da situação de referência imprescindível para acompanhar com rigor o evoluir da situação nos vários locais.

Com a entrada em funcionamento das duas novas infraestruturas e tendo por base aqueles elementos, iniciou-se, no Inverno de 2004, a primeira série anual da segunda fase dos trabalhos para acompanhamento e avaliação do estado de conservação dessas comunidades (período de monitorização operacional).

As expetativas são de que, na Mutela e no Porto do Buxo (anterior local de descarga dos efluentes não tratados da bacia da Costa-Trafaria), a redução do volume de matéria orgânica proveniente dos efluentes sem tratamento, permita uma melhoria significativa das comunidades bentónicas da sua envolvente, bem como acompanhar a resiliência do sistema estuarino ao funcionamento do emissário da ETAR do Portinho da Costa.

​Em 1994 foi instalado o Laboratório de Águas Residuais da ETAR da Quinta da Bomba, que iniciou a sua atividade no controlo da eficiência da primeira ETAR construída pelo Município de Almada, tendo realizado nesse ano 435 análises a 6 parâmetros físico-químicos.

Nos anos seguintes a sua atividade cresceu, quer em número de análises, quer em parâmetros e métodos de ensaio disponíveis, tendo sido apetrechado gradualmente com novos equipamentos.

No ano 2003, estando em construção a ETAR do Portinho da Costa e concluída a construção da ETAR da Mutela, o Laboratório Central foi deslocalizado para a ETAR da Mutela, onde conta com uma equipa de profissionais que efetuam todo o controlo de processo e auto-controlo da rejeição final de efluentes das várias ETARs do Município, através da realização anual de milhares de análises a parâmetros físico-químicos, microbiológicos e microscopia.

As unidades laboratoriais da ETAR da Quinta da Bomba e da ETAR do Portinho da Costa desenvolvem, apenas pontualmente, ensaios de apoio aos processos de tratamento das respetivas ETAR.

Para assegurar a conformidade dos resultados é efetuado um rigoroso controlo de qualidade, de acordo com as normas em vigor. O LABAR participa anualmente em vários Ensaios Interlaboratoriais, avaliando o seu desempenho em comparação com outros laboratórios nacionais e estrangeiros. Com vista à sua acreditação futura o LABAR desenvolve a sua atividade segundo a norma NP EN ISO 17 025:2005, respeitante aos Requisitos gerais de competência para laboratórios de ensaio e calibração.

Dispõe também de um software LabWay LIMS (Laboratory Informations Management System) que permite o tratamento e gestão da informação laboratorial.

O LABAR participa ainda nas ações de fiscalização técnica dos SMAS, no âmbito do Regulamento do Abastecimento de Água e do Saneamento de Águas Residuais.

As instalações laboratoriais do LABAR, na ETAR da Mutela, possuem uma área de 70 m2, distribuída por 1 sala de química, 1 sala de reagentes e instrumentação, 1 sala de microbiologia e 1 sala de lavagens.

Equipamentos laboratoriais mais relevantes

Parâmetros químicos, microbiológicos e biológicos

Edital nº 3/20212/SMAS sobre Parâmetros Admissão Águas Residuais Industriais