Avisos

  • 24-03-2017

    Dia 29 de março (quarta-feira), das 9h às 11h

  • 24-03-2017

    Dia 28 de março (terça-feira), das 9h às 12h

  • 16-03-2017

    O início dos trabalhos está previsto para dia 20 de Março (segunda-feira) e a intervenção tem a duração de 120 dias.

  • 19-01-2017

    Os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Almada informam que o planeamento para a execução da obra de renovação das redes de abastecimento de água e de drenagem de águas residuais na Av. Rainha D. Leonor e na rua Luís de Queirós, teve que sofrer alterações, por motivos técnicos e que determinaram um atraso no início dos trabalhos. Neste âmbito, no sentido de manter esclarecidos todos os munícipes locais e que possam ser afetados de alguma maneira, informamos que a obra, já se encontra a decorrer.

  • 20-03-2015

    Os SMAS de Almada informam, que alguns indivíduos, fazendo-se passar por técnicos de análises, têm contactado as pessoas numa tentativa de efetuar análises à qualidade da água nas casas dos consumidores, pondo em causa a qualidade da água distribuída no Concelho.

  • 20-02-2015

    No ano de 2002, todas as cauções foram devolvidas aos clientes.

LINHAS DIRETAS

Apoio ao Cliente
212 726 001
Dias Úteis (8H30-17H30)
Comunicação de Leituras
212 726 101
24 Horas
Roturas na Via Pública
800 205 712
24 Horas
Piquete
212 726 161
24 Horas

ETAR da Mutela

A ETAR da Mutela, em funcionamento desde julho de 2003, foi concebida para tratar as águas residuais equivalentes a 147 000 habitantes, no seu horizonte de projeto (2020). 

Com esta ETAR e a execução das obras terminais da Bacia de Almada, foram melhoradas as condições de drenagem de águas residuais e pluviais da bacia de Almada, contribuindo para a minimização das cheias da Cova da Piedade e para a melhoria da qualidade ambiental da zona da Mutela/Caramujo, decisiva para a reabilitação urbana da zona de Almada Nascente. 

No estudo prévio, para a construção da ETAR da Mutela foi apontada uma solução prevendo a minimização de impactes ambientais negativos, nomeadamente ruído e odores. 

Neste sentido a solução previu a cobertura do tratamento da fase líquida até ao tratamento primário e de toda a fase sólida, bem como a instalação de todos os equipamentos no interior de edifícios.

O processo de tratamento consiste na seguintes operações e processos unitários:

fase líquida: elevação de caudal a 11,5 mca; gradagem de 3 mm; remoção de areias, óleos e gorduras em desarenador/desengordurador; tratamento físico-químico e decantação primária convencional; tratamento biológico por biomassa suspensa (lamas ativadas de média carga) com arejamento difuso; decantação secundária convencional; desinfeção final com ultra-violetas; reserva de efluente tratado para usos compatíveis; descarga final no rio Tejo.

fase sólida: espessamento gravítico de lamas primárias; flotação de lamas secundárias; digestão anaeróbia com cogeração de energia; desidratação em centrífugas.

fase gasosa: tratamento de odores da zona do pré-tratamento, tratamento primário, espessamento e desidratação de lamas em filtros de carvão ativado.

Visualizar o Diagrama de Processo

Indicadores de Exploração