Avisos

LINHAS DIRETAS

Apoio ao Cliente
212 726 001
Dias Úteis (8H30-17H30)
 
Comunicação de Leituras
212 726 101
24 Horas
Roturas na Via Pública
800 205 712
24 Horas
Piquete
212 726 161
24 Horas
« Voltar

Livro "História da Água e Saneamento em Almada"

No âmbito das comemorações do seu 65.º aniversário, os SMAS de Almada lançaram o livro "História da Água e Saneamento em Almada", da autoria dos historiador e investigador Almadenses Alexandre Flores e António Policarpo, no passado dia 5 de novembro.

Participaram nesta iniciativa o Presidente da Câmara Municipal de Almada, Joaquim Judas, o Presidente do Conselho de Administração dos Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Almada, José Gonçalves e o Professor Doutor João Cosme, docente da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

A água potável, elemento vital, é um bem indispensável à vida. As vicissitudes no abastecimento de água à "vila e seus arrabaldes", memórias coletivas "de elos de solidariedade e de conflitualidades vividas pela comunidade". Histórias que se cruzam com o quotidiano junto dos elementos de património arquitetónico da água na cidade - "chafarizes, fontes e minas". O aumento da população e a industrialização, os estudos, projetos e obras realizados pela Câmara Municipal de Almada, a evolução, implementação e generalização da rede de abastecimento de água ao domicílio.

"Esta obra constitui um repositório de conhecimento"

Perante uma plateia de cerca de 200 convidados, o Presidente da Câmara Municipal de Almada, Joaquim Judas, abriu a sessão destacando a importância de gerir bem a água com o maior número de parceiros/ cidadãos. O Professor Doutor João Cosme fez uma introdução ao conteúdo do livro e salientou o rigor científico desta obra. António Policarpo enfatizou que "esta obra constitui um repositório de conhecimento" e Alexandre Flores referiu que "este livro resultou de um trabalho que é também um serviço público".

Depois de algumas considerações feitas pelo público, José Gonçalves concluiu a sessão por saudar a todos e em especial os autores, realçou que os SMAS de Almada são uma referência no país, o desafio atual é manter os padrões de qualidade já alcançados e pensar no futuro preservando o aquífero Tejo-Sado, para continuar a abastecer toda a população com água de qualidade exemplar para consumo humano. No final, realizou-se a habitual sessão de autógrafos.

Esta obra, de pesquisa histórica, neste primeiro volume – "das Origens à criação dos Serviços Municipalizados de Água (SMA): contributos" - retrata o gratificante percurso dos Almadenses no acesso à água, até 1951, ano em que entram em funcionamento os SMAS de Almada.